É hora da calculadora! São Paulo e Atlético-MG são os brasileiros com menos chances de classificação na Libertadores



Chegou a hora do torcedor fazer as contas. Faltando apenas uma rodada para os times brasileiros na Copa Libertadores, quatro das cinco equipes ainda não garantiram classificação para as oitavas de final do torneio continental e focam essa partida final para evitarem a eliminação precoce.
O único time já garantido na próxima rodada é Corinthians. Com o empate do Timão contra o San Lorenzo, a equipe de Parque São José está matematicamente classificada e se soma a Boca Juniors (ARG), Montividéo Wanderers (URU), Tigres (MEX), River Plate (ARG), Racing (ARG) e Guaraní (PAR), cujos seus grupos já disputaram todas as seis rodadas.
Só que as chances de Internacional, Cruzeiro, São Paulo e Atlético-MG não são as mesmas de prosseguirem na competição. Segundo o site de Chance de Gol, enquanto Colorada e Raposa tem grande probabilidade de avançar, Tricolor e Galo têm preocupações maiores. A equipe paulista tem quase a expectativa matemática de se classificar e ser eliminado e o alvinegro mineiro tem menos de um terço de chances de se manter vivo.
Administrador do portal, Marcelo Arruda explica que para calcular essa chance de conseguir a vaga é preciso passar por três etapas. Primeiro, é montado um índice técnico dos times, baseados nos resultados anteriores deles. Para a Libertadores, por exemplo, a janela são os últimos 24 meses das competições internacionais. Com base nesse índice, são calculadas as chances de um time ganhar, empatar ou perder.
“A partir daí, verificamos as probabilidades dos placares exatos, 0x0, 1x0, 2x1... Com esses dados, fazemos uma somatória das chances de cada combinação dos placares dos times que ainda disputam vaga e assim chegamos a porcentagem final”, completa o estatístico.
O torcedor do Galo sabe que a situação do time na Libertadores é complicada. E esse sentimento é expresso também pela matemática. A probabilidade menor do que 33% de chegar as oitavas de final demonstra essa dificuldade.
A obrigação dos mineiros é apenas uma: vencer o Colo Colo em casa por dois ou mais gols de diferença. Qualquer outro placar elimina o clube. Esse desafio é bem parecido com a época que surgiu o “Eu Acredito” e isso pode dar mais confiança ao atleticano, mas Marcelo explica que esse fator “externo” não entra em campo na estatística.
“Não dá pra colocar isso num modelo matemático. No máximo, ele entra de forma indireta, com esse tipo de vitória se repetindo e interferindo no ranking e na base de cálculo.”
O empate entre Corinthians e San Lorenzo não foi bom para o Tricolor. Apesar de ainda manter a possibilidade de empatar com o Timão na última rodada e se classificar, essa chance diminui pelo fato do Ciclón pegar o saco de pancadas do Grupo 2 em casa, o Danubio.
Em caso derrota, terá que secar o Time do Papa, para que ele não conquiste os três pontos em casa e, se empatar, torce por uma não goleada dos argentinos. Ou seja, o time do Morumbi precisa vencer o grande rival para conquistar a vaga sem depender de outro resultado, e isso traz temor aos são-paulinos pelo histórico recente do confronto. O fator casa pode nem pesar.
“O mando de campo é algo até polêmico na estatística. Por São Paulo e Corinthians serem da mesma cidade, eu acabo processando isso como sendo campo neutro, como diversos clássicos pelo país. O que pesa aí é o retrospecto dos últimos dois anos, e nesse período só tem a vitória do Timão na primeira fase. E é lógico que os resultados dos times em competições internacionais nos últimos tempos também são diferentes”, pondera Marcelo.
Mas ele explica também que, mesmo o Tricolor tendo 26% de chances de vencer o rival local, a probabilidade de classificação é maior que 50%. “Por restar apenas uma rodada, a probabilidade de zebra (o Danubio não perder na Argentina) é maior do que se restassem mais jogos.”
A Raposa teve uma campanha bastante irregular num grupo considerado até fácil. Mesmo assim, chega com uma condição muito favorável de classificação. O time precisa apenas vencer o Universitário de Sucre no Mineirão. E mesmo que isso não ocorra, pode seguir no torneio caso o Huracán não vença o Mineros de Guayana na Venezuela.
“Mesmo em segundo, o Cruzeiro tem mais chances que o líder da chave porque tem 62% de chance de ganhar o confronto direto. Por isso, o Universitário está mais arriscado de ser ultrapassado pelo Huracán.”
Tirando o Corinthians, a situação mais confortável entre os brasileiros é da equipe gaúcha. Líder do Grupo 4, o Colorado joga em casa contra o The Stronguest e tem três pontos a mais que o Emelec e um saldo de gols superior. Ou seja, somente uma derrota para os bolivianos no Beira-Rio somado a um bom resultados dos equatorianos contra o Universidad do Chile tiraria o clube do torneio continental. E é por isso que o estatístico explica que não adianta apenas saber quem vai vencer um jogo.
“Esses mais de 93% de chance de classificação é a soma de todas as combinações possíveis, e para o Inter ser eliminado precisa de uma combinação mais improvável de resultados e placares.”
E finaliza com um alerta. “Mas as zebras acontecem, ainda mais com apenas um jogo para ela aparecer. Por isso, é preciso cuidado.
Por Goal.com
Sexta-Feira, 17 de Abril de 2015

0 comentários

Comentário