Com sindicalistas, Lula trata Collor como adversário

Em reunião, ele arranca risos da plateia ao lembrar protestos do PT contra ex-presidentes da República


Lula e Collor: parece mesmo uma aliança pra inglês ver.
Não é de verdade, pra valer. Ou o ex-presidente Lula não esqueceria nunca de incluir o senador Fernando Collor, do PTB de Alagoas, no rol de seus aliados.
Dia 10 passado, por exemplo, Lula postou em sua página no facebook um vídeoonde, numa reunião com petistas e sindicalistas, opina sobre os adversários do PT. E, mais uma vez, Collor é citado como adversário e não como aliado.
Disse Lula: "Eu fico irritado quando vejo companheiros nossos dizerem que os que vão contra nós não prestam e que nós somos bons. Não é assim. Nós aprendemos a ir para a rua contra Figueiredo, Sarney, Collor, FHC, Geisel, Médici, Costa e Silva. É a primeira vez que eles estão contra nós”.
E, depois de arrancar risos da plateia, Lula complementa, ironizando:
“É, eles têm direito de fazer uma vez contra nós”.
Em nenhum momento, Lula lembrou aos seus companheiros que hoje Collor e Sarney não estão contra o PT. Ao contrário, estão no governo do PT.
Em casa (encontros com petistas), Lula não poupa Collor e Sarney. Nos palanques eleitorais, troca palavras elogiosas com eles.
 Nas campanhas eleitorais de Collor em Alagoas, em 2010 e 2014, Lula pediu votos para ele. Collor, muito antes, já se declarou eleitor de Lula. Hoje, Fernando Collor e o seu partido, o PTB, estão na base de sustentação do governo Dilma.
Assim como o grupo político do ex-presidente Sarney e o PMDB são aliados de primeira ordem do PT.
O vice-presidente de Dilma, Michel Temer, é do PMDB e assumiu agora a função de articulador político do governo petista.
Das duas uma: ou Lula mente para Collor e Sarney, ou mente para o PT. Não há controvérsia.
De todo modo, Collor ganha mais que Lula nesse jogo de aparências. Lula tem o PT e o PT tem o governo.
E casamento de jacaré com cobra d’água nunca surpreendeu ninguém na política. A cada eleição, os palanques partidários ficam mais diversificados e menos ideológicos.
O que, infelizmente para o nosso Brasil, ajuda menos na ética política e mais nos jogos de interesses pessoais de poder.
Link do facebook de Lula: 
https://www.facebook.com/video.php?v=797640726971596&set=vb.267949976607343&type=2&theater

Por CM

Quarta-Feira, 15 de Abril de 2015

0 comentários

Comentário