Com mais de 60% acima dos 50 anos, Congresso não reflete demandas dos jovens

Mulheres e negros também tem participação minoritária; projeto quer limitar reeleição


Quando uma manifestação de cunho político no Brasil ganha as ruas, ela é, geralmente, organizada e composta maoritariamente por jovens. Apesar disso, esse engajamento não se repete na representatividade do Congresso Nacional. Nas duas Casas Legislativas, a Câmara e o Senado, 62% dos parlamentares estão acima dos 50 anos. 

Na Câmara, eles representam 59%. No Senado, chegam a 87%.

“No caso do Senado, isso se justifica. É uma casa destinada a representar os Estados, não a população. Tanto que frequentemente são recrutados ex-governadores, ex-presidentes”, explica o professor José Alvares Moisés, diretor do Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da USP (Universidade de São Paulo).

Na Câmara, o grupo majoritário (36,84%) está na casa entre 51 e 60 anos. Mas existem os deputados novatos. A faixa entre 21 e 30 anos conta com 20 integrantes, o que representa 4% da casa.

Uldurico Junior (PTC-BA), de 23 anos, é o caçula do legislativo nacional. Integrante de uma família de políticos (ele é filho do ex-deputado federal Uldurico Pinto e neto do também ex-deputado José Alencar Furtado), o estudante universitário foi eleito na primeira eleição que disputou.

— Na minha região, eu sentia falta de um representante a nível federal. Eu me propus a ser candidato, sempre gostei muito de política, sempre quis entrar e não tinha idade até então.

Na outra ponta da pirâmide etária está Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que completa 85 anos em maio e é o mais velho do legislativo. Apenas como deputado federal são dez mandatos.

Ele destaca que um dos principais amadurecimentos que a experiência traz é perceber que alguns objetivos “são difíceis de serem atingidos”.

— A idade é muito importante, a participação dos jovens é muito importante, principalmente quando são jovens esclarecidos. Mas, a experiência daqueles que têm mais tempo de parlamento é válida, porque a política é muito complexa, é cheia de riscos e as pessoas mais experientes, logicamente, têm uma vivência maior.


Por R7

Sábado, 04 de Abril de 2015 

 

0 comentários

Comentário